Portal | ADSMC

Notícias da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em São Miguel dos Campos/AL.

Atendimento

terça, quinta e sexta das
08h às 13h.
(82) 3271 2498
adsmc@uol.com.br

→ Escola Bíblia Dominical

Lição 11 – Atributos da Unidade da Fé – Humildade, Mansidão e Longanimidade

Comentário da lição com o pr. Jairo Teixeira Rodrigues para o fim de semana.

Por DECOM ADSMC

Publicado em 13 jun 2020

INTRODUÇÃO

Agora a ênfase é unidade dos crentes (4.1-16). Dois termos importantes são usados pelo apóstolo em Efésio 4.1: “rogo e pois”. O termo rogar indica que Deus, em seu amor, nos insta a viver para sua glória. Não segue mais o padrão do Antigo Testamento, no qual ele dizia: “se me seguir, eu o abençoarei”. Agora, Deus diz: “Eu já o abençoei; agora, obedeça-me em resposta a meu amor e a minha graça” . Ele nos chamou de modo maravilhoso em Cristo; nossa responsabilidade é viver à altura desse chamado. O termo pois indica que Paulo baseia suas exortações ao dever nas doutrinas ensinadas nos três primeiros capítulos. Sua intenção é provocar nos leitores reflexão séria sobre o modo em que vivem a vida. Ele os exorta a andar como é digno da vocação para a qual foram chamados (cf. Fp 1.27; Cl 1.10; 1Ts 2.12). A expressão “andeis” do grego: “peripateo”, no Novo Testamento, significa: “conduzir a vida”, “conduzir- se”, “comportar-se”. A vida é consequência da doutrina e a doutrina é a base da vida. Neste caso, o apelo inicial é para viver de modo “digno” em grego: “axios”, ou seja, “condizente, apropriadamente” à vocação ou “chamado”. O que cremos determina como vivemos. Paulo ensina que o nosso andar precisa refletir a vida de Deus. A vocação com que fostes chamados não se refere ao chamado divinamente dado para o ministério, mas diz respeito ao chamado para a salvação, um relacionamento resultante da conversão. Nesse ponto, as principais virtudes fundamentais para manter a Igreja unida são – humildade, mansidão e longanimidade.

I – PARA HAVER UNIDADE É PRECISO HUMILDADE

1. O modo digno do viver cristão.

“Andem de modo digno da vocação” (4.1). O crente é filho de DEUS, é membro do corpo de CRISTO, portanto deve portar-se dignamente.

Não sabeis vós que os vossos corpos são membros de CRISTO? Tomarei, pois, os membros de CRISTO e fá-los-ei membros de uma meretriz? Não, por certo. Ou não sabeis que o que se ajunta com a meretriz faz-se um corpo com ela? Porque serão, disse, dois numa só carne. Mas o que se ajunta com o Senhor é um mesmo espírito. Fugi da prostituição. Todo pecado que o homem comete é fora do corpo; mas o que se prostitui peca contra o seu próprio corpo. Ou não sabeis que o nosso corpo é o templo do ESPÍRITO SANTO, que habita em vós, proveniente de DEUS, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por bom preço; glorificai, pois, a DEUS no vosso corpo e no vosso espírito, os quais pertencem a DEUS. 1 Coríntios 6:15-20

A união e intimidade com DEUS pelo ESPÍRITO SANTO que nele habita, faz com que o crente seja luz em meio às trevas, seja exemplo para todos, seja representante de CRISTO em meio ao mundo que jaz no maligno.

JESUS, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos; e, abrindo a boca, os ensinava, dizendo: Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o Reino dos céus; bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados; bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra; bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos; bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a DEUS; bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de DEUS; bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o Reino dos céus; bem-aventurados sois vós quando vos injuriarem, e perseguirem, e, mentindo, disserem todo o mal contra vós, por minha causa. Exultai e alegrai- porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que antes de vós. Vós sois o sal da terra; e, se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas, no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que nos céus. Mateus 5:1-16

A Palavra de DEUS nos apresenta pelo menos três virtudes essenciais, a humildade, a mansidão e a longanimidade (4.2) para seguirmos unidos a DEUS e a Igreja na realização da obra de DEUS.

Estas três virtudes essenciais são produzidas e são do ESPÍRITO SANTO, sendo desenvolvidas no crente a apartir de sua comunhão com o mesmo ESPÍRITO SANTO, em CRISTO e em louvor e glória ao PAI.

2. A humildade.

HUMILDADE – (Strong Português) – ταπεινοφροσυνη tapeinophrosune 1) ter uma opinião humilde de si mesmo

2) senso profundo de insignificância (moral)

3) modéstia, humildade, submissão de mente

1. O termo aparece 11 vezes na versão ARC em português. A palavra gr. tapeinophrosyne é usada outras seis vezes e traduzida na versão KJV em inglês como “humildade” de pensamento (Fp 2.3; Ef 4.2), e como “humildade” (Act 20.19; Cl 2.18,23; 1 Pe 5.5). Várias versões o traduzem, de forma geral, como “humildade” (Fp 2.3; Act 20.19; 1 Pe 5.5; Ef 4.2; Cl .)2.18,23

2. Uma característica cristã, é aquela graça específica desenvolvida no cristão pelo ESPÍRITO de DEUS, em que ele sinceramente reconhece que tudo o que tem e é deve-se ao DEUS Trino, que opera de forma dinâmica a seu favor. Ele então se submete voluntariamente à mão de DEUS (Tg 4.6101; ־ Pe 5.5-7). Assim, a humildade não deve ser equiparada a um piedoso complexo de inferioridade. Ela pode ser fingida pelos falsos mestres (Cl 2.18,23) por meio de atos de auto-humilhação.

Esta qualidade é louvada no AT (Pv 15.33; 18.12; 22.4). O termo heb. ‘anatva (de ‘anah, “ser afligido”) sugere que a humildade de espírito é freqüentemente o resultado da aflição. A vida de muitos reis de Judá e de Israel foram avaliadas de acordo com esta característica (1 Rs 21.29; 2 Cr 32.26; 33.23; 34.27; 36.12). Humilhar-se é o primeiro passo para o verdadeiro avivamento (2 Cr 7.14; cf. Mq 6.8). O próprio DEUS, que é sublime e grandioso, deleita-se em habitar com aquele que tem um espírito contrito e humilde, a fim de avivá-lo (Is 57.15).

JESUS CRISTO, como o supremo exemplo de humildade (Mt 11.29), forneceu aos seus discípulos uma demonstração visível de humildade ao lavar-lhes os pés (Jo 13.3-16). Uma importante passagem cristológica no NT (Fp 2.5-11) encontra seu ponto-chave no cultivo desse traço de JESUS CRISTO por parte do crente. F.R.H.

Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma. Mateus 11:29

De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em CRISTO JESUS,

que, sendo em forma de DEUS, não teve por usurpação ser igual a DEUS. Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte e morte de cruz. Filipenses 2:5-8

A humildade, muitas vezes, é confundida com covardia, falta de amor próprio ou alguma coisa negativa, porém, para o cristão é uma qualidade aprendida de JESUS.

“não teve por usurpação ser igual a DEUS. Mas aniquilou-se a si mesmo, tomando a forma de servo” (Fp 2.6,7). JESUS deixou todas as prerrogativas divinas para se tornar como um de nós, para assim, ser nosso parente próximo e nos comprar para DEUS (Lv 25.12, 47-55; 1 Co 6.20, 7.23 – nossa redenção), tomando sobre Ele nossos pecados e doenças e enfermidades e maldições e morrendo por nós na cruz (Is 53.4; Mt 8.17; Gl 3.13; 1 Pe 2. 24, 5.7).

JESUS demonstrou na prática a humildade ao lavar os pés dos apóstolos (Jo 13.13-15). Esta virtude essencial é produzidas pelo ESPÍRITO SANTO, sendo desenvolvida no crente a apartir de sua comunhão com o mesmo ESPÍRITO SANTO, em CRISTO e em louvor e glória ao PAI.

3. A verdadeira humildade.

Humildade expressa a modéstia, em oposição ao orgulho e a arrogância (2 Co 12.20). Favorece o bem da coletividade no lugar do egoísmo (Jo 17.21-23). Coopera para a harmonia nos relacionamentos e promove a unidade no Corpo de CRISTO (1 Co 12.25).

Estas três virtudes essenciais são produzidas e são do ESPÍRITO SANTO, sendo desenvolvidas no crente a apartir de sua comunhão com o mesmo ESPÍRITO SANTO, em CRISTO e em louvor e glória ao PAI. Não há quem possa desenvolver tal conduta sem que o ESPÍRITO SANTO o transforme (Gl 5.16).

Nada de orgulho portanto, pois, tudo vem de DEUS e é para DEUS. – Digo, porém: Andai em ESPÍRITO e não cumprireis a concupiscência da carne. Gálatas 5:16

Mas o fruto do ESPÍRITO é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra essas coisas não há lei. E os que são de CRISTO crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no ESPÍRITO, andemos também no ESPÍRITO. Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando- nos uns aos outros. Gálatas 5:22-26

Importante frisar que o FRUTO (um fruto só) é do ESPÍRITO SANTO. Possui 9 qualidades, ou virtudes, ou atributos, ou aspectos. Quanto maior submissão ao ESPÍRITO SANTO, mas aparecem as tais qualidades.

II – PARA HAVER UNIDADE É PRECISO MANSIDÃO

A virtude da mansidão produz crentes capacitados a bem gerir os conflitos, promovendo paz e conciliação na igreja local.

1. Mansidão: um fruto do ESPÍRITO. Corrija, Mansidão é uma qualidade do Fruto do ESPÍRITO.

MANSIDÃO – (Strong Português) – πραοτης praotes ver πραυτης 1) gentileza, bondade, humildade

A palavra grega prautes quer dizer “mansidão”, “suavidade”,”meiguice”, “paciência” (1 Co 4.21; 2 Co 10.1; Gl 5.22,23). Esse termo parece também especificar cortesia, consideração e um espírito humilde e modesto (2 Tm 2.25).

Portanto, não é de admirar que Paulo especificasse essa palavra como sendo uma das qualidades necessárias de um oficial da igreja.

Existe ainda outro termo semelhante (philantropia) que embora não seja traduzido como mansidão traz em si o conceito básico de “cortesia”, “bondade” ou “amor a um semelhante” (Act 27.3; 28.2; Tt 3.4). O que pode impedir a mansidão de se manifestar são as obras da carne tais como as pelejas, ou dissensões ou disputas – estas são oposição à brandura e meiguice da mansidão. Atrelada à mansidão marcha a humildade que lhe dará suporte para agir. O contrário da humildade, que é a arrogância, impede o agir da mansidão e DEUS desaprova tal atitude (Pv 16.5). Os crentes são comparados às ovelhas porque ovelhas são dóceis, mansas e submissas ao pastor (Jo 10.14,15). Aprendamos de JESUS, pois ELE mesmo, apesar de pastor, disse ser manso e humilde de coração (Mt 11.29).

Quem é manso ou manifesta a mansidão de DEUS é humilde, amável e Cortez. A mansidão, como qualidade do fruto do ESPÍRITO, é uma atitude interior que brota da comunhão com o

ESPÍRITO SANTO. Na hora que é solicitada esta qualidade deve aparecer. Ela não é permanente em nós. Moisés, o homem mais manso do mundo falhou em manifestá-la na hora que mais precisou. Paulo muito precisou desta qualidade quando recebeu oposição de mestres dos Coríntios. Paulo sabia ser rígido com os falsos irmãos, mas sabia ser manso para com os verdadeiros irmãos.

Ser manso é ser corajoso. Nenhum crente pode ser covarde ou tímido (Qual é o homem medroso e de coração tímido? Dt 20.8). O homem de DEUS deve ser corajoso e repreender o mal, combater sempre, mas ser manso e humilde ao mesmo tempo será necessário.

JESUS era manso e humilde de coração, mas sabia repreender os religiosos e combater os falsos ensinos.

Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o fazeis filho do inferno duas vezes mais do que vós. Mateus 23:15

Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! pois que fechais aos homens o reino dos céus; e nem vós entrais nem deixais entrar aos que estão entrando. Mateus 23:13

A mansidão como virtude do fruto do ESPÍRITO. A mansidão deve ser manifesta entre as qualidades do fruto do ESPÍRITO na vida dos súditos do Reino de DEUS (Mt 5.11). Isso só é possível com a submissão ao ESPÌRITO SANTO., JESUS ensinou a mansidão e e se mostrou como digno de imitação nisso. (Mt 11.29,30). Aprendamos com nosso mestre. Humildade e mansidão. As pessoas vinham de longe para ter com JESUS – Ele é atraente em suas palavras, em seu agir, em seu vestir, em seu comportar, em seu tratar, em seu amor. A mansidão atrai pessoas para DEUS.

Paulo exorta ser um em CRISTO, não colocando-se acima ou sendo egoísta (Fp 2.3). Tg 3.14 fala contra ter amor-próprio ou se vangloriar. Pode descrever uma pessoa que luta por posição e glória. A discórdia e a peleja são obras da carne (Gl 5.20).

Ações do homem carnal. São conhecidas as lutas dentro da igreja por cargos e posições. deveria ser conhecida a luta por almas e pelas missões mundiais. Cargos ministeriais deveriam ser pouco disputados já que, para quem está ocupado na obra de DEUS, o tempo para cuidar de coisas administrativas seria pouco e de pouco valor, tendo seu tempo dedicado a conquista de almas para ao reino de DEUS. O cuidado das ovelhas já requer um tempo dispendiosos para aqueles que querem realmente fazer a obra de DEUS.

Um ESPÍRITO aguerrido.

Olha o que convém e o que não convém ao servo de DEUS – E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; Instruindo com mansidão os que resistem, a ver se porventura DEUS lhes dará arrependimento para conhecerem a verdade, E tornarem a despertar, desprendendo-se dos laços do diabo, em que à vontade dele estão presos. 2 Timóteo 2:24-26

DEUS deseja que sejamos santos – Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou SANTO. 1 Pedro 1:16 – santidade significa separação para DEUS – manter-se longe das discussões e pelejas. Precisamos nos manter incorruptíveis, santos, sinceros e justos em um mundo de trevas (Fp 2.15). A única forma para combater a peleja é ser cheio do ESPÍRITO SANTO (Ef 5.18). O Consolador nos ajuda a seguir os passos de JESUS CRISTO. Embora os servos de DEUS acabem por se tornarem famosos, pois isso lhes seria impossível, veja que a fama é uma fama boa. Fama de ser pobre, de ser manso, de ser humilde, de ser cheio do ESPÍRITO SANTO, fama de ser usado por DEUS em milagres, etc… Esta é a fama que mesmo

4. Mansidão pressupõe conciliação.

MANSIDÃO

πραοτης – Lê-se Právis – praotes – Mansidão – Dicionário Strong Português 1) gentileza, bondade, humildade

Mediação e conciliação –

A mediaçãoe a conciliação são métodos alternativos de resolução de conflitos.

O irmão tem alguma coisa contra ti, deixa a tua oferta ali diante do altar e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão; e depois virás apresentar a tua oferta”. (Mt 5,23-24) A origem do conflito está em insistirmos em ter as coisas do nosso modo

A Bíblia, no livro do Evangelista Mateus, cap. 5, nos leva a crer em uma prática conciliatória entre os povos de quem a Bíblia discorre em seu arcabouço literário. “22 Eu, porém, vos digo que todo aquele que [sem motivo] se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento; e quem proferir um insulto a seu irmão estará sujeito a julgamento do tribunal; e quem lhe chamar: Tolo, estará sujeito ao inferno de fogo. 23 Se, pois, ao trazeres ao altar a tua oferta, ali te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, 24 deixa perante o altar a tua oferta, vai primeiro reconciliar-te com teu irmão; e, então, voltando, faze a tua oferta. 25 Entra em acordo sem demora com o teu adversário, enquanto estás com ele a caminho, para que o adversário não te entregue ao juiz, o juiz, ao oficial de justiça, e sejas recolhido à prisão. 26 Em verdade te digo que não sairás dali, enquanto não pagares o último centavo”. Entendo esse texto como um ensinamento jurídico de JESUS pós Sermão das Bem-Aventuranças. Os conflitos sociais sempre foram acompanhado de perto por DEUS, desde Adão até os dias de hoje.

Há uma só resposta para tudo isto. Enquanto CRISTO ficar no centro da vida do individuo e da Igreja, eritheia, a ambição pessoal e a rivalidade partidária, não poderá sequer começar a aparecer; mas quando CRISTO for removido do centro e as ambições e políticas de qualquer homem se tornarem o centro, certa e inevitavelmente eritheia, a competição pessoal, invadirá a Igreja e perturbará a paz dos irmãos.

III – PARA HAVER UNIDADE É PRECISO LONGANIMIDADE E PERDÃO:

A virtude da longanimidade capacita o crente a ser tolerante com os erros alheios, e assim liberar o perdão aos ofensores.

Que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina. 2 Timóteo 4:2

1. Longanimidade: um fruto do ESPÍRITO. Corrija – Longanimidade é uma qualidade do Fruto do ESPÍRITO.

Longanimidade é o amor sofrendo.

LONGANIMIDADE – (Strong Português) – μακροθυμια makrothumia 1) paciência, tolerância, constância, firmeza, perseverança

2) paciência, clemência, longanimidade, lentidão em punir pecados

A expressão hebraica ’erek ‘aph significa literalmente “nariz longo” ou “respiração longa”, porque a ira é acompanhada por uma respiração rápida através das narinas; daí as possíveis traduções “demorado para se irar”, “tardio em irar- se” e “longânimo”. Essa palavra foi aplicada a DEUS (Ex 34.6; Nm 14.18; Sl 86.15; cf. Ne 9.17; Jl 2.13; Jo 4.2; Na 1.3, onde várias versões a traduziram como “tardio em irar-se”). Bibliografia. J. Horst, ‘‘Makrothvmía’’, TDNT, IV, 374- 387. R. A, K.

Longanimidade tem o sentido de ”paciência”, “tolerância” e “constância” (1 Pe 3.20; 2 Pe 3.9; Cl 3.12,13). É mais um dos aspectos do fruto do ESPÍRITO desenvolvido no crente (Gl 5.22). Em termos gerais essa virtude significa tolerar pacientemente a má conduta dos outros (1 Co 6.1- 6), tanto que a Bíblia nos ensina a ser “pacientes na tribulação” (Rm 12.12). Assim, suportar os erros dos outros e as adversidades da vida são o lado prático da paciência, pois o próprio DEUS é descrito como “longânimo” e “tardio em irar-se” (Sl 86.15; Na 1.3). Contudo, o exercício da paciência requer a virtude do amor, que é o princípio basilar de todas as ações do crente salvo por CRISTO (1 Co 13.1-7).

CONCLUSÃO: Nesse texto, o apóstolo reafirma a necessidade de possuir o “Fruto do Espírito” caracterizado pela sua principal virtude o amor (1Co 13.1-7). Todas as nossas atitudes se não estiverem fundamentadas no verdadeiro amor, não tem valor algum, pois ele é vínculo da perfeição (Cl 3.14); uma dívida que temos para com o próximo (Rm 13.8-a); e quem exercita o amor como fruto do Espírito cumpre a lei (Rm 13.8,10). Assim concluímos que ter humildade, mansidão e longanimidade em amor, é uma necessidade de todo cristão, diante das diversas situações a que estão submetidos, como também nos tornar capazes de suportar e saber agir pacientemente, para conservação da unidade cristã evitando as divisões.


Comente a matéria

*Seu e-mail não será publicado.

*
*

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
YouTube
YouTube
Instagram