Portal | ADSMC

Notícias da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em São Miguel dos Campos/AL.

Atendimento

terça, quinta e sexta das
08h às 13h.
(82) 3271 2498
adsmc@uol.com.br

→ Notícias

Lição 13 – A LEITURA DA BIBLIA E A EDUCAÇÃO CRISTà  

Comentários: Pr. Jairo Teixeira Rodrigues

Publicado em 26 mar 2022

1 Tm 4:13

Introdução: O objetivo é mostrar a importância da Bíblia como uma ferramenta do ensino-aprendizagem. Como praticar a bíblia sem compreendê-la? Precisamos estudá-la (2 Tm 3:16). A educação cristã visa a formação do caráter cristão. A ebd é uma agencia educadora da igreja.

I –  A EBD – A MELHOR ESCOLA DO MUNDO

1. O Currículo adotado é o ensino bíblico(2Tm 3.14-17).

2. A metodologia de ensino alcança a todos(Ef 4.22-23).

3. O padrão ético e moral permanece inalterável(Mt 24.35)

II – A EDUCAÇÃO CRISTÃ:

1.EDUCAÇÃO –No  Dicionário Bíblico Wycliffe. A palavra grega paideia, “treinamento infantil”, “instrução”, *alimentação”, é usada três vezes no NT. Ela abrange todo o cultivo da mente e da moral de uma criança, e o emprego de ordens e admoestações, censura e castigo, com a finalidade de atingir este objetivo (Ef 6.4). Quando aplicada a adultos, ela fala daquilo que desenvolve a alma, corrigindo erros e controlando paixões através da “instrução” na justiça (2 Tm 3.16). Quando aplicada a crianças, tem o sentido de treinamento infantil ou “castigo” (Hb 12.5,7,11; cf. Pv 3.11,12; 15.5).

-(2 Tm 4.13) Paulo incumbiu Timóteo de estudar muito: Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu vá. Embora Timóteo tivesse dons extraordinários, ele precisava usar seus conhecimentos aprendidos de Paulo também. A leitura pública das Escrituras para exortar, isto é, ler e expor, ler e imprimir neles o que leu; ele deve expor o texto tanto por meio da exortação quanto por meio da doutrina; ele deve ensiná-los naquilo que devem fazer e naquilo que devem crer. Observe: (1) Os ministros devem ensinar e ordenar as coisas que eles mesmos foram ensinados e ordenados a fazer; eles devem ensinar as pessoas a observar todas as coisas que CRISTO mandou (Mt 28.20). (2) A melhor maneira de os ministros evitarem ser desprezados é ensinar e praticar as coisas pelas quais são responsáveis. Não é de admirar se os ministros são desprezados quando não ensinam essas coisas, ou que, em vez de serem exemplos do bem para os crentes, agem de maneira diretamente contrária à doutrina que pregam; pois os ministros devem ser exemplos para o seu rebanho. (3) Mesmo os ministros mais preparados para o seu trabalho devem dedicar-se aos estudos, para que possam crescer no conhecimento. E devem dedicar-se ao seu trabalho; também devem dedicar-se à leitura, à exortação, à doutrina, ao jejum, a oração e à evangelização.

5. Ele o incumbe a guardar-se da negligência: Não desprezes o dom que há em ti (v. 14). Os dons de DEUS vão murchar se forem negligenciados. Aqui pode ser entendido tanto o ofício no qual estava envolvido, quanto as suas qualificações para esse ofício; caso seja o primeiro, foi a ordenação de uma maneira ordinária; se foi o último, isso ocorreu de maneira extraordinária. Parece ter sido o primeiro, porque ela ocorreu com a imposição das mãos etc. Veja aqui a ordenação de acordo com as Escrituras: ela ocorria com a imposição das mãos, ou seja, a imposição das mãos do presbitério. Observe: Timóteo foi ordenado por homens que estavam no ofício. Lemos em outro texto que um dom extraordinário foi conferido a ele pela imposição das mãos de Paulo, mas ele foi investido no ofício do ministério pela imposição das mãos do presbitério. (1) Podemos observar: O ofício do ministério é um dom, é o dom de CRISTO (Efésios 4.11); quando Ele subiu ao alto, recebeu dons para os homens e deu uns para apóstolos, outros para pastores e doutores (Ef 4.8,11), e esse foi um dom muito especial para sua igreja. Os dons ministeriais são capacitados pelos dons do ESPÍRITO SANTO (1 Co 14). (2) Os ministros não devem negligenciar ou desprezar o dom concedido a eles, quer por dom, que aqui entendemos como o ofício do ministério, quer pelas qualificações para esse ofício; nem um nem outro deve ser negligenciado. (3) Embora houvesse a profecia no caso de Timóteo (o dom foi dado por profecia), ela foi acompanhada pela imposição de mãos pelo presbitério, isto é, um determinado número de presbíteros. Dons do ESPÍRITO SANTO também são dados com imposição de mãos. O ofício foi transmitido a ele dessa forma; e eu penso que aqui há uma garantia ou justificação suficiente para a ordenação por presbíteros, visto que não parece que Paulo estava preocupado com a ordenação de Timóteo. É verdade, dons extraordinários foram conferidos a ele pela imposição de mãos do apóstolo (2 Tm 1.6), mas, se ele estivesse interessado na sua ordenação, o presbitério não foi excluído, motivo pelo qual parece bastante evidente que o presbitério tem o poder inerente da ordenação.

III – ENSINAR COMO A ESCOLA JUDAICA –

1.No Dicionário Bíblico Wycliffe – Embora não haja vestígios de escolas para a instrução pública na antiga nação de Israel, a instrução religiosa das crianças era uma responsabilidade dos próprios pais (Gn 18.19; Dt 6.7). Ler, escrever e aprender um pouco de matemática, eram também aparentemente parte das instruções oferecidas em casa (Dt 6.9; 11.20). Também eram criadas algumas oportunidades para a instrução religiosa do povo na época das grandes festas, que eram, por si mesmas, os meios para tal instrução (Dt 31.10-13; 31.19,30; 32.1-43; Ne 8.1-8,18). Muitos negócios e a maior parte das ações legais eram realizados em locais públicos, como por exemplo, o portão da cidade e as ruas das vilas. Assim o povo recebia um grande número de instruções, de forma constante, através do processo de observação. Mais tarde, os profetas prestaram uma assistência à instrução religiosa do povo através de suas pregações públicas. As referências a um grupo de profetas em Ramá sob o comando de Samuel, e possivelmente em Gibeá, mesmo tendo sido chamadas de escolas de profetas não devem ser consideradas como as mais recentes escolas de escribas que caracterizavam o judaísmo. Cujo objetivo era ensinar a Palavra de Deus(Pv 22.6).

CONCLUSÃO: O crescimento na vida cristã não é algo automático. É necessário empenho no estudo da Bíblia. “Portanto, deixemos de lado os ensinos elementares a respeito de CRISTO e avancemos para a maturidade” (Hb 6.1). “Cresçam, porém, na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador” (2Pd 3.18). Por isso, o cristão tem o dever de ler e estudar a Palavra. Na Escola Bíblica Dominical todos terão a oportunidade de estudar profundamente as Escrituras Sagradas. O estudo da Bíblia é necessário PARA CRESCIMENTO ESPIRITUAL(2Pe 3:18).


Comente a matéria

*Seu e-mail não será publicado.

*
*

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
YouTube
YouTube
Instagram