Portal | ADSMC

Notícias da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em São Miguel dos Campos/AL.

Atendimento

terça, quinta e sexta das
08h às 13h.
(82) 3271 2498
adsmc@uol.com.br

→ Notícias

Lição 3 – ACABE E O PROFETA ELIAS

Comentário Pr. Jairo Teixeira Rodrigues

Publicado em 17 jul 2021

Introdução:  Nesta lição temos três personagens: Acabe, Jesabel e Elias. O profeta Elias apareceu em um período crítico da história de Israel. Época em que Acabe, influenciado por Jezabel, sua maléfica esposa, fez de tudo para eliminar a adoração a Javé em Israel. Mas o próprio DEUS, usando o profeta Elias, entrou no conflito e decisivamente derrotou os deuses pagãos, trazendo o povo de volta à verdadeira fé. Em tempos de apostasia, quando imperam a rebeldia insolente e a dureza de coração contra os mandamentos do Senhor, o Todo-poderoso sempre envia seus profetas para combater o culto idolatra, e restaurar o culto ao Deus verdadeiro.

I – O CASAMENTO DE ACABE COM JEZABEL

  • ACABE: No hebraico, irmão do pai,

Filho de Onri e sexto rei de Israel. Reinou por vinte e um anos, entre 918 e 897 A.C., aproximadamente. Foi um dos reis mais fracos e corruptos de Israel. Parece ter tido bons sentimentos e disposições, mas facilmente desviava-se para o mal. Sua história aparece principalmente em I Reis 16 – 22. A narrativa mostra que a debilidade, por parte de alguma alta autoridade, pode produzir tanto o mal quanto a impiedade direta. Foi influenciado por sua associação com os fenicíos, e vários erros por ele cometidos podem ser atribuídos a esse fato.

a. Influência fenícia. Havia laços comerciais, provenientes do tempo de Davi e Salomão. Tais associações, após a divisão de Israel em dois reinos, tiveram fim em Judá, mas permaneceram fortes no norte, em Israel.

b. Jezabel, sua esposa, era filha de Etball, rei de Tiro. Era mulher enérgica, mas ímpia e pagã, e conseguiu dominar completamente Acabe. Por meio da influência dela, pois, foi estabelecido o culto aos deuses fenícios, sobretudo o deus sol, Baal, no reino do norte.

Nesse casamento vemos as consequências de uma escolha errada. Pois Jezabel, era idolatra e logo buscou introduzir a idolatria e levar o povo ao pecado(2Co 6:14). Seu final não foi dos melhores(1Rs 21:23-27).

II – ELIAS PREVÊ A GRANDE SECA

1. Elias, o profeta, cujo nome significa “Yahweh [ou Jeová] é Deus” foi muito ativo durante os reinados de Acabe e de Acazias no reino do norte (aprox. 875-850 a.C.). O relato de seu ministério começa em 1 Reis 17 e termina com a ascensão de Elias registrada em 2 Reis 2. Nenhuma genealogia, chamada ao serviço, ou antecedentes são fornecidos, exceto o fato de ter sido identificado como um tisbita que residia na terra de Gileade, a leste do Rio Jordão.

Elias foi chamado para servir como porta- voz de Deus na ocasião em que o reino do norte havia alcançado sua mais forte posição econômica e política desde a separação feita pelo governo Davídico em Jerusalém. Onri (885-874 a.C.), que introduziu uma política de boas relações de amizade com as nações vizinhas, selou essa aliança com a Fenícia casando seu filho Acabe com Jezabel, filha de Etbaal, o rei dos sidônios. Sob o real patrocínio de Acabe e Jezabel, floresceu em Israel a adoração ao deus Baal de Tiro e Sidom, ou Melqart de Israel. Acabe até construiu um templo para Baal na cidade de Samaria (1 Rs 16.32). Enquanto a liderança real estava comprometida com a adoração a Baal, Elias, através de suas mensagens e milagres, tinha a responsabilidade de lembrar aos israelitas que eram o povo de Deus.

Sua primeira missão foi enfrentar o rei Acabe com o aviso de uma seca iminente, lembrando que o Senhor Deus de Israel, a quem ele havia ignorado, tinha o controle da chuva na terra onde viviam (Dt 11.10-12). Em seguida, Elias isolou-se e caminhou em direção a leste do Rio Jordão. Nesse lugar, ele foi sustentado pelas águas do ribeiro de Querite e pelo pão e carne milagrosamente fornecidos pelos corvos. É possível que esse “ribeiro” (nahal) seja o profundo vale do Rio Jarmuque, ao norte de Gileade. Quando o suprimento de água terminou por causa da seca, Elias foi divinamente instruído a ir até Sarepta, na Fenícia, onde seria sustentado por uma viúva cuja reserva de farinha e óleo havia sido milagrosamente aumentada até que a estação das chuvas fosse restaurada à terra. A identidade de Elias como profeta ou homem de Deus foi confirmada pela divina manifestação quando o filho da viúva foi restaurado à vida.

-Aprendemos que todo homem e mulher de Deus precisam ter Fé e coragem para enfrentar as dificuldades que surgem. Pois Deus cuida dos seus assim como cuidou de Elias no Ribeiro de Querite e depois em Sidom, no caso da viúva(1Rs 17:14).

III – ATITUDES QUE MINAM O ÂNIMO DO CRENTE:

-Quando olhamos para a história de Elias, observamos que ele foi um grande profeta, muito usado por Deus, porém, por alguns descuidos, passou por momentos difíceis de desânimo e falta de desejo de viver, o que fez com que ficasse totalmente apático diante do que Deus queria realizar através de sua vida!

-Elias havia obtido grandes vitórias, estava no auge de sua vida espiritual: profetizou três anos de seca que aconteceram (1 Reis 17:1); multiplicou a farinha e o azeite da viúva de Sarepta (1 Reis 17:14-16); ressuscitou o filho dela (1 Reis 17:20-22) e venceu os 450 profetas de Baal (1 Reis 18:20).

-Mas observamos que sua expectativa de ver mudanças em Acabe e Jezabel foi tremendamente frustrada quando sofreu graves ameaças desta contra sua vida (1 Reis 19:2). Isso trouxe desespero a Elias, ao ponto de pedir a Deus a morte (1 Reis 19:4) e se esconder de tudo e de todos em uma caverna (1 Reis 19:9).

-Sim, o mesmo profeta que enfrentou os 450 profetas de Baal teve seu ânimo ferido poderosamente pela ameaça de uma mulher pagã! Será que isso (desespero, desânimo) que ocorreu com Elias pode ocorrer conosco? É certo que sim! Então, é sábio aprendermos com o profeta as três coisas que devemos cuidar para que nosso ânimo não seja destruído!

1) As situações difíceis e desconfortáveis.

Uma situação difícil tem dois poderes sobre nós. O primeiro é o de nos fortalecer. Muitos conseguem enfrentar as tribulações da vida de tal forma que tiram delas um fortalecimento adicional para enfrentar novos desafios. Paulo disse: “Quando sou fraco, então, é que sou forte” (2 Coríntios 12:10). Isso é o ideal.

Elias tirou essa força das primeiras situações difíceis que venceu. Mas nem sempre é algo fácil! Após ser ameaçado de morte por Jezabel, ele permitiu que o segundo poder das situações difíceis o afetasse, que é a destruição do ânimo.

O ânimo de Elias foi minado. Sua fé enfrentou grande provação naquele momento. Seu coração, por um momento, foi contaminado pelo desespero. Precisamos aprender a não permitir que esse segundo poder das situações difíceis e desconfortáveis domine sobre nós!

2) O isolamento de Deus e das pessoas

Elias foi questionado por Deus. Veja: “Ali, entrou numa caverna, onde passou a noite; e eis que lhe veio a palavra do Senhor e lhe disse: Que fazes aqui, Elias?” (1 Reis 19:9). É claro que Deus sabia exatamente o que Elias fazia ali, como estava usando o isolamento para fugir das tribulações, achando que aquilo seria uma solução.

A pergunta de Deus tem mais o objetivo de provocar o próprio Elias a uma reflexão profunda: era para você estar aqui, Elias? Note que Deus pergunta isso duas vezes a ele (também em 1 Reis 19:13). Você tomou a decisão certa em buscar o isolamento? Era isso o que Deus queria que ele pensasse!

O isolamento nos torna mais frágeis do que já somos! Precisamos estar ligados com Deus em primeiro lugar. Depois, com irmãos engajados na mesma missão! Note que Deus explicou a Elias, em 1 Reis 19:18, que havia em Israel 7 mil pessoas que não se dobraram a Baal. Ele não estava sozinho como pensava!

O diálogo de Deus com Elias na caverna o fez enxergar que o isolamento não contribuiu em nada com sua vida. Precisava sair dali! A vida do servo de Deus é em “corpo”, é em comunidade e não em isolamento.

3) Deixar de ouvir e principalmente obedecer a Deus

Apesar de alguns erros que Elias cometeu, como mencionamos nos dois primeiros tópicos, existiu algo que não foi uma falha e que foi fundamental para a recuperação de seu ânimo: aquele homem continuou ouvindo Deus!

Deixar de ouvir Deus é o completo sepultamento de nosso ânimo, de nossa força de vida! O Senhor falou para Elias: “Vai, volta ao teu caminho para o deserto de Damasco e, em chegando lá, unge a Hazael rei sobre a Síria” (1 Reis 19:15).

Por alguns momentos, Elias deixou-se levar pelas situações difíceis, escondeu-se em uma caverna, porém, após ouvir a voz de Deus, que o fez refletir sobre tudo aquilo, ordenando que ele saísse dali e voltasse para a missão, obedeceu! 1 Reis 19:19 diz “partiu, pois, Elias…”.

CONCLUSÃO: Elias recuperou sua ousadia! Mais tarde, conseguiu confrontar Acabe e também a mesma Jezabel. Apesar da grande misericórdia de Deus sobre o rei Acabe, Elias o exortou a voltar aos caminhos do Senhor, mas ele terminou em ruínas. Nunca deixe a ignorância e a sequidão Espiritual lhe atingir.

Por isso, não deixe de ouvir, mas também não deixe de obedecer a voz de Deus. Essa é a receita precisa para que seu ânimo espiritual e de vida não seja destruído pelas circunstâncias!


Comente a matéria

*Seu e-mail não será publicado.

*
*

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
YouTube
YouTube
Instagram