Portal | ADSMC

Notícias da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em São Miguel dos Campos/AL.

Atendimento

terça, quinta e sexta das
08h às 13h.
(82) 3271 2498
adsmc@uol.com.br

→ Notícias

Lição 4 – O Drama de Jó

Comentário Pr. Jairo Teixeira Rodrigues.

Publicado em 24 out 2020

Texto Jó 2:21

Introdução: Jó é nosso contemporâneo. Sua história se confunde com a nossa. À semelhança dele, vemos muitos dos nossos dilemas estampados não apenas em suas reflexões, mas, sobretudo, em seu sofrimento. Afinal, quantos/as não se encontram cambaleando por terem sido alvejados pela flecha envenenada da dor lancinante e do sofri- mento?

Abatido sem razão alguma, Jó traz à baila essa temática tão remota e ao mesmo tempo tão presente no cotidiano de todos nós, a saber, a problemática do sofrimento e do mal que aflige o gênero humano.

I – TRAGÉDIA DE NATUREZA ECONÔMICA

1. O sucesso na esfera comercial.

Jó era “maior de todos os do Oriente” (Jó 1.3). Tudo na vida de Jó era grande. Sua integridade, sinceridade, retidão, riqueza, prosperidade, admiração de todos, família. Jó possuía sete mil ovelhas, e três mil camelos, e quinhentas juntas de bois, e quinhentas jumentas e muitos servos a serviço dele (Jó 1:3). Podemos supor que o comércio e a atividade do campo eram suas principais atividades, já que possuía muitas juntas de bois, geralmente usadas para arar a Terra. A produção de leite e lã deveria ser imensa. Seus animais de carga e número elevado de funcionários indicavam muito serviço executado em sua imensa fazenda.

2. O sucesso na esfera do campo.

Com certeza Jó não era um nômade como tantos outros nesta época (Abraão, Isaque e Jacó, por exemplo). Por causa do elevado número de juntas de bois podemos deduzir que havia uma grande plantação. O elevado número de jumentas demonstrava haverem muitas cargas a serem transportadas e muito leite a ser vendido, resultado de muitas colheitas. O elevado número de Camelos indicava grande número de longas viagens atravessando desertos, certamente para escoar sua produção para outros lugares longínquos. Seu elevado número de ovelhas indicavam grande produção de leite e seus derivados, bem como muita lã para confecção de tecidos. Seus muitos bois também indicavam venda de carne e do couro para outros locais. Estudiosos destacam  o fato de que a palavra hebraica ‘abuddah, encontrada somente em Jó e em Gênesis 26.14, é uma referência direta à lavoura e ao cultivo da terra. Jó parece ter sido um empresário de grande sucesso em sua época.

3. O ataque do Diabo na esfera comercial.

Se a produção rural era a principal e mais rentável atividade de Jó, Satanás o atacou por ai, roubando seus animais e matando o pessoal a serviço dele, desestabilizando-o financeiramente. Jó quebrou literalmente. Sem animais de carga, o transporte estava prejudicado. Os primeiros a serem atingidos foram os bois que lavravam, e as jumentas que transportavam sementes provavelmente. Faltaria carne. Também os funcionários deste setor da fazenda foram mortos.

E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam e bebiam vinho na casa de seu irmão primogênito, que veio um mensageiro a Jó e lhe disse: Os bois lavravam, e as jumentas pasciam junto a eles; e eis que deram sobre eles os Sabeus, e os tomaram, e aos moços feriram ao fio da espada; e eu somente escapei, para te trazer a nova. Jó 1:13-15. Quem Eram Os Sabeus?

Descendentes de Sebá, neto de Cam e bisneto de Noé. Território ao Norte da Etiópia. Eram pessoas de elevada estatura. Povo mais especializado e ousado em roubar gado na época de Jó. Os Sabeus ainda não tinham atacado os rebanhos de Jó porque DEUS protegia seus rebanhos, agora porém a proteção de DEUS havia sido retirada como forma de teste à fidelidade de Jó. DEUS provaria a Satanás e ao mundo inteiro, até a nossa geração que um crente fiel não se deixa abater por nada, principalmente por questões financeiras.

A plantação cessou e a futura colheita não aconteceria. A vida comercial de Jó estava falida.

Quantos crentes estão participando de greves, arruaças, quebra-quebras, invasão de terras, brigas com vizinhos e coisas desse tipo? A falta de fé e de temor de DEUS leva- nos a esquecer das palavras de JESUS: Mt 5.40 e ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa; e Mt 5.44 Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem.

Os filmes de hoje estão a destilar a violência e principalmente a falta de perdão, sempre a história dos filmes se resume em alguém que matou alguém da família de alguém que agora vai matar essa pessoa e levar a forra o que o mesmo fez com a sua.

4. O ataque do Diabo na esfera do campo.

Após parar a plantação que seria a produção futura, Satanás ataca as ovelhas que produziam leite e lã. Faltaria roupas de frio para o inverno, principalmente, e leite. O Diabo atingiu em cheio toda a fonte de sua riqueza. Era preciso muito equilíbrio para não se desesperar diante de um quadro tão sombrio.

Satanás envia fogo para queimar as ovelhas e destruir a lã. Mais funcionários são mortos.

Estando este ainda falando, veio outro e disse: Fogo de DEUS caiu do céu, e queimou as ovelhas e os moços, e os consumiu; e só eu escapei, para te trazer a nova. Jó 1:16. Satanás ataca os camelos que eram usados no transporte pelo deserto, a longas  distâncias. Mais funcionários são mortos.

Estando ainda este falando, veio outro e disse: Ordenando os caldeus três bandos, deram sobre os camelos, e os tomaram, e aos moços feriram ao fio da espada; e só eu escapei, para te trazer a nova. Jó 1:17

Os Atos de DEUS para conosco, mesmo que muitas vezes não entendamos, são de profundo Amor, pois no futuro estaremos mais perto D’ Ele. O prejuízo foi imenso, além da perca do rebanho, os empregados morreram e tudo virou cinzas. A desolação tomou o lugar das verdes pastagens e o horror caiu sobre o que restou para dar a notícia.

O mais incrível é que depois da devastação e da prova de Jó se findar, esperava-se (como é natural) que aquela terra não mais produzisse vegetação e nem sobrevivência para famílias, como é o caso de Sodoma e Gomorra, mas ao invés disso, parece que DEUS recuperou o solo para dar a Jó uma fortuna em dobro, com muitos animais vivendo e comendo ali. Tudo é fácil para DEUS, ELE é o autor da vida!

Sabemos que não é somente por uma ação direta de Satanás que existem falências. Por causa de uma tragédia familiar, um mal gerenciamento, uma sociedade desproporcional nos negócios (Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque que sociedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? 2 Coríntios 6:14), uma crise de mercado, etc…. A pandemia, por exemplo, trouxe uma quebradeira geral – restaurantes, cinemas, etc…Todavia, no caso de Jó, foi uma ação maligna e em muitos casos hoje também o é. Nem sempre podemos dizer que toda falência é acusada por Satanás; pandemia, crise econômica, etc.

II – TRAGÉDIA NA ÁREA FAMILIAR.

Jó perdeu os dez filhos em um só dia é a mulher sofreu um surto emocional que a levou a perder a fé. Porém Jó permaneceu confiando em Deus(Jó 2:21).

O importante da crise é saber como passar por ela. Sabendo que terá que deixá-la, e nunca usá-la como desculpa para não crescer. (SLC)

Jó foi um homem que conheceu a crise no seu íntimo pessoal e familiar. Sua crise envolveu todos que com ele estava. Dos empregados aos seus bens. Os amigos mais chegados também tiveram a oportunidade de conviver com sua crise e participar dela como coadjuvantes.

Hoje quando olhamos para a vida de Jó é fácil dizer que ele suportou tudo em silêncio, pois conhecemos o fim da história. Mas Jó era o homem do seu tempo. Ele não sabia qual seria o seu fim, apenas viveu sua vida, confiante que de uma forma ou de outra, Deus iria dar uma solução naquela situação.

Jó teve uma das maiores decepções financeira, ele dorme milionário e acorda pobre, com notícias das piores que um pai de família pode receber. Seus filhos morrem em um desastre, seu gado morre em outro. Seus pés não sabiam mais onde repousar. Os servos de Jó foram mortos ao fio da espada. Para ser mais pesado ao seu coração cai fogo do céu e mata suas ovelhas e os servos que cuidava das mesmas.

Para onde vai este homem? Onde pousará ele sua cabeça? Sua garganta seca. Secou-lhe também os olhos para não mais chorar. Imagino eu o silêncio de sua alma naqueles momentos de noticias. Sua mente não consegue pensar em nada. Apenas fica em silêncio tentando raciocinar no que será feito dele e de sua família.

Em tudo Jó não pecou, não murmurou, nem atribuiu a Deus tamanha desgraça em sua caminhada. (Jó 1:22)

A perda familiar de Jó ainda tinha seu agravante, como avisar a esposa dos filhos, a dor não era somente sua. Tinha que suportar a dor da perda e ainda consolar a esposa de tamanha crise. Esta sem compreensão do acontecido o diz: “Então sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua integridade? Blasfema de Deus, e morre. Mas ele lhe disse: Como fala qualquer doida, assim falas tu; receberemos de Deus o bem, e não receberemos o mal? Em tudo isso não pecou Jó com os seus lábios.” (Jó 2:9-10).

Jó conheceu ali o descontrole, mas jamais a blasfema. Conheceu a Deus pelo que ele é não pelo que pode dar ou retirar do homem. Não deixou seu Deus de forma alguma, não lhe imputou culpa. Apenas calou-se e o adorou na pobreza e na desgraça aparente de sua vida.

Mesmo com tamanha perda de seus bens sua saúde também começa a sofrer danos. Um câncer de pele o tomou. Tumores tomaram conta de seu corpo. A dor da alma já parecia pouca pelo que sua carne sofria naquele instante. Jó senta-se na cinza e raspa a pele com cacos. A coceira aqui nos demonstra estar insuportável.

Seu sono lhe foge aos olhos. “Havendo-me deitado, digo: Quando me levantarei? Mas comprida é a noite, e farto-me de me revolver na cama até a alva. A minha carne se tem vestido de vermes e de torrões de pó; a minha pele endurece, e torna a rebentar-se.”(Jó 7:4-5) Sua pele antes de um rico agora se farta não de bens e vida regalada, mas de vermes. Falar a este homem também não era fácil seu hálito cheirava mal “O meu hálito é intolerável à minha mulher; sou repugnante aos filhos de minha mãe.” (Jó 19:17)

Podemos descrever Jó em um sentimento literalmente de pânico. “Olhai para mim, e pasmai, e ponde a mão sobre a boca. Quando me lembro disto, me perturbo, e a minha carne estremece de horror.” (Jó 21:5-6).

O que Jó não perdeu foi sua responsabilidade como chefe da casa e servo do Deus altíssimo. Cuidou de sua mulher que ficou muito mais desesperada que ele. Não perdeu a fé.

Ele não tinha nenhuma noção do que poderia ainda lhe acontecer, mas ele toma uma decisão diante de tamanho sofrimento e angústia. Ele reconhece que conhecia Deus de ouvir falar “Eu te conhecia de só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem.” (Jó 42:5).

A única certeza que Jó tinha naquele momento era em quem ele deveria confiar e sabia que nenhuns dos planos de Deus poderiam ser frustrados. Não importasse como seria seu futuro na terra desde que Deus não abandonasse sua alma. Não o deixasse perecer sem um alivio celeste.

Vendo Deus realmente quem era seu servo Jó lhe restitui tudo que lhe foi retirado “O Senhor, pois, virou o cativeiro de Jó, quando este orava pelos seus amigos; e o Senhor deu a Jó o dobro do que antes possuía.” (Jó 42:10)

O prejuízo na vida de Jó lhe sobreveio, mas não ficou. Ele não permitiu que ficasse. Não murmurou, não pecou, pois em seu coração sabia, Deus era senhor sobre tua vida, queria de Deus não somente bens e família, mas queria sua presença não importando se na saúde, na dor ou na bonança. Bastaria que Deus estivesse com ele para que o pudesse louvar.

Precisamos conhecer Deus desta forma, na intimidade, não importando o quanto temos ou que deixamos de ter ou nunca tivemos. Nossa vida assim como a de Jó não pode ser avaliada pelo volume de bens que possuímos, mas pela intimidade que temos com Deus, com as pessoas a nossa volta. Somos importantes não pelo que sabemos, mas pelo que somos perante o criador. “Depois disto viveu Jó cento e quarenta anos, e viu seus filhos, e os filhos de seus filhos: até a quarta geração. Então morreu Jó, velho e cheio de dias.” (Jó 42: 16-17)

III – TRAGÉDIA DE NATUREZA FÍSICA E PSICOLÓGICA

Satanás ataca na saúde física,  mental, e espiritual.

Jó 2.6 – E disse o SENHOR a Satanás: Eis que ele está na tua mão; poupa, porém, a sua vida. 7 – Então, saiu Satanás da presença do SENHOR e feriu a Jó de uma chaga maligna, desde a planta do pé até ao alto da cabeça. 8 E Jó, tomando um pedaço de telha para raspar com ele as feridas, assentou-se no meio da cinza. 8 – E Jó, tomando um pedaço de telha para raspar com ele as feridas, assentou-se no meio da cinza.

Desastres e emergências são eventos desencadeadores de estresse pela exposição a um perigo imediato à integridade física e emocional das pessoas envolvidas, requerendo assim ações imediatas.

Os desastres podem resultar em danos pessoais, materiais, ambientais e humanos.

Nas comunidades( como a igreja, a EBD),  onde há familiaridade com os eventos de alta frequência, as pessoas apresentam uma tendência de respostas mais sistemáticas, e, consequentemente, menor vulnerabilidade social (MATTEDI, 2008). Sendo assim, o não saber o que fazer em situações de desastres aprofunda a crise, porque o medo e o pânico bloqueiam a reflexão (ROZEN, 2006). Dai a importância do crente está na igreja, na escola dominical, um lugar de apoio emocional e espiritual(Sl 42:1-3)

CONCLUSÃO

As Tragédias na Vida de Jó de Natureza Econômica vieram sem que ele esperasse. De repente, num dia só. Jó era um homem grande em todos os sentidos, riqueza, sabedoria, prosperidade, família, na esfera comercial e na esfera do campo. Os ataques de Satanás na esfera comercial se deu pelo roubo de seus animais (juntas de bois) e morte de parte de seus funcionários, depois o ataque do Diabo veio na esfera do campo, com a queima das ovelhas e mais mortes de funcionários, depois no roubo de seus camelos e jumentas.

As Tragédias na Vida de Jó de Natureza familiar vieram também no mesmo dia. Primeiro sobre seus Filhos que foram todos dez mortos. Depois veio sobre a esposa que ficou meio louca e deu conselhos a seu marido para amaldiçoar a DEUS e morrer. Fato é que Jó ficou arrasado, mas não perdeu sua fé e integridade.

As Tragédias na Vida de Jó de Natureza física e psicológica vieram primeiro com uma doença que trazia chagas malignas em todo seu corpo e depois com a luta diária para tentar entender o que se passava, sem nunca blasfemar contra DEUS. Mais em todas essas coisas Somos mais do que vencedores por aquele que nos amou (Rm 8:37).


Comente a matéria

*Seu e-mail não será publicado.

*
*

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
YouTube
YouTube
Instagram