Portal | ADSMC

Notícias da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em São Miguel dos Campos/AL.

Atendimento

terça, quinta e sexta das
08h às 13h.
(82) 3271 2498
adsmc@uol.com.br

→ Notícias

Lição 7 – O Ministério de Eliseu

Comentário Pr. Jairo Teixeira Rodrigues

Publicado em 14 ago 2021

Texto: 2 Reis 3:11,15,16,17

11 – E disse Josafá: Não há aqui algum profeta do SENHOR, para que consultemos ao SENHOR por ele? Então, respondeu um dos servos do rei de Israel e disse: Aqui está Eliseu, filho de Safate, que deitava água sobre as mãos de Elias.” (2 Rs 3.11)

15 – Ora, pois, trazei-me um tangedor. E sucedeu que,

tangendo o tangedor, veio sobre ele a mão do SENHOR.

16 – E disse: Assim diz o SENHOR: Fazei neste vale muitas covas. 17 – Porque assim diz o SENHOR: Não vereis vento e não vereis chuva; todavia, este vale se encherá de tanta água, que bebereis vós e o vosso gado e os vossos animais.

-DEUS usou, e ainda usa, seus servos para realizar milagres. Basta ter fé e confiança no Senhor, que Ele opera maravilhas.

INTRODUÇÃO: Desde o início do Ministério de Eliseu, os milagres eram como confirmação de seu Ministério Profético. Junto com os milagres Eliseu conciliava bondade e firmeza.

Eliseu era enérgico e contundente quando precisava; porém, compassivo e presto com os que sofriam ou necessitavam de ajuda.

3.15 TANGENDO O TANGEDOR. Tratava-se de um harpista. A música da harpa ajudou a afastar toda distração e incredulidade do ambiente em torno de Eliseu, predispondo seu espírito a receber a revelação da parte do Senhor.

4.1 UMA MULHER… DOS FILHOS DOS PROFETAS. Os atos milagrosos de Eliseu, registrados no cap. 4, apresentam verdades espirituais surpreendentes. A narrativa da viúva com seus dois filhos revela que Deus cuida dos seus fiéis quando estão em necessidade e aflição. A viúva com os filhos representam o povo de Deus quando estão em abandono e opressão. Tanto no AT como no NT, a compaixão pelos necessitados e o cuidado por eles são evidência da fé genuína em Deus e da verdadeira piedade (Êx 22.22-24; Dt 10.18; 14.29; Jó 29.12; Tg 1.27).

4.38-44 HAVIA FOME NAQUELA TERRA. Essas duas narrativas sobre os “filhos dos profetas” ilustram a verdade de que “os olhos do SENHOR estão sobre os que o temem, sobre os que esperam na sua misericórdia, para livrar a sua alma da morte e para os conservar vivos na fome” (Sl 33.18,19). Quem permanece fiel à Palavra de Deus, permanece sob os cuidados especiais do Senhor (cf. Mc 16.18). Deus é poderoso e usa os seus filhos para a realização de milagres.

Nos dias de Eliseu também existiam Reis bons e maus, isto é, homens que desprezavam a Deus e ainda promoviam adoração a ídolos.

Não importa se pessoas infiéis existirem no meio dos fiéis, o Senhor sempre irá intervir a favor dos que o temem.

I – MILAGRE: O SIMBOLISMO DO PODER DE DEUS

  1. Definição. A palavra milagre, do latimmiraculum, significa “maravilhar-se”, que é o sentimento que deve envolver quem o presencia. Quando acontece um milagre há um benefício prático imediato (a cura, o livramento, etc), porém o mais importante é que a invasão de Deus na natureza seja encarada, sobretudo, simbolicamente, porque seu objetivo maior é trazer uma conexão mais relevante do que ele mesmo — o maravilhamento em Deus! Por isso, a coisa mais maravilhosa em qualquer milagre é a ação, em amor, do Todo-Poderoso na vida de um mortal. Moisés compreendeu essa circunstância ao observar um arbusto queimar e não se consumir (Êx 3), Eliseu vislumbrou tal sentido ao presenciar o milagre do azeite da viúva.

II – ELISEU AUMENTA O AZEITE DA VIÚVA 

1. A situação das viúvas em Israel.

Tanto no AT como no NT DEUS ordenou o sustento das viúvas.

Quando acabares de dizimar todos os dízimos da tua novidade, no ano terceiro, que é o ano dos dízimos, então, a darás ao levita, ao estrangeiro, ao órfão e à viúva, para que comam dentro das tuas portas e se fartem. Deuteronômio 26:12

A religião pura e imaculada para com DEUS, o Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e guardar-se da corrupção do mundo. Tiago 1:27

Cremos que nesta época de Jorão haviam uma grande quantidade de viúvas por ali. Pelo menos 300 profetas de DEUS foram perseguidos e mortos por Jezabel e 850 profetas de Baal e Azera foram mortos por Elias. Sendo assim, haviam pelo menos 1150 viúvas para serem cuidadas.

Muito provavelmente somente as viúvas dos falso profetas eram sustentadas pelo governo idólatra de Jorão.

A vida das viúvas nos tempos bíblicos era bem difícil, muitas delas passavam a se prostituírem para dar sustento a si mesmas e a seus filhos. Muitas eram sustentadas pelo templo.

No caso da viúva desta lição, ela era viúva de um dos filhos dos profetas e seu marido era discípulo na Escola de Profetas, cujo mestre agora era Eliseu e conhecia seu marido.

Após a morte do marido, a mulher ficou numa situação complicada: falta de suprimentos, dívidas e a ameaça de seus filhos serem vendidos como escravos (2 Rs 4.1,2). Assim era o costume, a dívida continuava após a morte e os parentes tinham que pagá-la. Uma das maneiras era pegar os filhos adolescentes como escravos. DEUS ouviu o clamor daquela viúva e supriu suas necessidades, através do milagre da Multiplicação do Azeite que ela tinha guardado (2 Rs 4.3-7).

2. Uma única botija de azeite foi suficiente para DEUS operar o milagre.

A viúva não tinha mais nada, provavelmente porque os credores de seu marido já haviam confiscado tudo o que possuía.

A única coisa que ainda possuía era uma botija de azeite, muito provavelmente, azeite de unção que seu marido possuía para ungir doentes e enfermos e reis. Eliseu, como representante de DEUS ali, disse a ela que tomasse vasilhas vazias emprestadas com os vizinhos, não poucas, e que ao entrar em casa com os filhos, fechasse a porta. A ordem era derramar, em cada vasilha disponível, o pouco de azeite que possuía, e pô-las à parte à medida que ficassem cheias (2 Rs 4.2-4). E foi justamente o que ela fez. Um filho buscava vasilhas vazias na vizinhança, que muito confiante na integridade daquela mulher, lhe emprestaram. Quando acabaram as vasilhas, o azeite cessou. Ela foi novamente ao profeta e ele a aconselhou para vender o azeite, pagar a dívida e ainda manter o sustento dela e da família com o que sobrou (2 Rs 4.6,7).

3. Fé, obediência e família unida.

Neste episódio da multiplicação do azeite, percebe-se que a fé e a obediência são os ingredientes necessários para que as bênçãos divinas sejam abundantes na vida de quem crê (Hb 11.6a). Às vezes, o milagre que buscamos pode acontecer a partir do que temos e trabalharmos com o que DEUS já nos deu, e exercer a fé em sua Palavra. Ao pedir à mulher para fechar a porta, o profeta indicou que o milagre deveria acontecer na intimidade da família (2 Rs 4.4,5). Isso significa que DEUS se agrada de uma família unida em torno de um ideal sagrado. Tanto a mulher quanto seus filhos eram obedientes e tinham fé em DEUS. Essas duas coisas são fundamentais para que o milagre aconteça (OBEDIÊNCIA E FÉ).

CONCLUSÃO: Deus usa milagres com grande reserva.

-Não devemos se tornar dependentes de milagres.

-Deus insiste que devemos depender Dele próprio, que realiza os milagres”.

-É provável que a definição mais simples seja a de C. S. Lewis: ‘Milagre é uma interferência na natureza por um poder sobrenatural’.

-Machen define o milagre como ‘um evento no mundo exterior, que é trabalhado pelo poder imediato de Deus’.

-Com isso ele quer dizer que uma obra divina é milagrosa quando Deus ‘não usa meios, mas utiliza o seu poder criativo, como o utilizou quando fez todas as coisas a partir do nada’.

-Um milagre acontece quando Deus dá um passo para fazer algo além do que poderia ser realizado de acordo com as leis da natureza, do modo como entendemos, e que na verdade pode estar em desacordo com elas e ser até uma violação delas.

-Além disso, um milagre está além da capacidade intelectual ou científica do homem”. Que Deus seja cada vez mais glorificado.


Comente a matéria

*Seu e-mail não será publicado.

*
*

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
YouTube
YouTube
Instagram