Portal | ADSMC

Notícias da Igreja Evangélica Assembleia de Deus em São Miguel dos Campos/AL.

Atendimento

terça, quinta e sexta das
08h às 13h.
(82) 3271 2498
adsmc@uol.com.br

→ Notícias

LIÇÃO Nº 12 – A URGÊNCIA DO DISCIPULADO

Comentário Pr. Jairo Teixeira Rodrigues.

Publicado em 20 mar 2021

LUCAS 14:25-33

INTRODUÇÃO

O discipulado deve ser iniciado logo após a conversão. O discipulado é urgente por causa de duas coisas principais. O novo convertido pode vir a óbito a qualquer momento e JESUS pode voltar a qualquer instante. Assim, o novo convertido deve receber ajuda para crescer na graça e no conhecimento de DEUS. Conhecer as doutrinas básicas da bíblia é o início da vida cristã. Os apóstolos foram discipulados por JESUS CRISTO. Paulo foi discipulado por Barnabé. Timóteo foi discipulado por sua vó e por sua mãe. Para haver crescimento na graça e no conhecimento só com um discipulado bem realizado. O discipulador deve ser exemplo em tudo para o novo convertido.

O objetivo do discipulado é tornar o cristão forte espiritualmente e engajar este cristão na obra de DEUS. É necessário um excelente trabalho de inclusão no corpo de CRISTO, a Igreja.

I – O QUE É O DISCIPULADO

  • Discipulado é o trabalho cristão efetuado pelos membros da igreja, a fim de fazer dos novos crentes-crianças, jovens e adultos -, autênticos cristãos, cujas vidas se assemelham em palavras e obras do ideal apresentado pelo Senhor JESUS CRISTO, conforme lemos em Mateus 28.18-20; Colossenses 1.28, 29;Efésios 4.13-16
  • O DISCIPULADO CRISTÃO EXIGE VOLUNTARIEDADE (v.26a)

1. É preciso querer (Se alguém quer vir após mim Lc. 9:23) JESUS não impõe. Ele apenas chama… “vem”

2. É preciso ter Disposição… diz respeito a vontade

3. É preciso ter Disponibilidade.. diz respeito a tempo empreendido

II. O DISCIPULADO CRISTÃO EXIGE ABNEGAÇÃO (vs. 26, 33)

1. Primeira Exigência: (v. 26) JESUS está exigindo que as relações familiares não nos impeçam de assumir o “Reino”.

2. Segunda Exigência: (v. 33) Renunciar aos bens. Os bens podem transformar-se em deuses, tornando-se uma prioridade, escravizando o homem e levando-o a viver em função deles.

3. Terceira Exigência: (v. 26) Renunciar a própria vida. O discípulo de JESUS não pode viver egoisticamente, colocando em primeiro lugar os seus próprios interesses…

III. O DISCIPULADO CRISTÃO EXIGE COMPROMISSO (vs. 27-32)

1. Um Compromisso que requer Consciência (vs. 27-32)

a) Consciência de sua decisão

b) Consciência de suas implicações

c) Consciência de seu custo

2. Um Compromisso que requer Sacrifício “Tome a sua cruz” (v.27)

a) Sacrifício próprio (…sua cruz)

b) Sacrifício diário (dia a dia tome a sua cruz e siga-me. Lc. 9:23)

3. Um Compromisso que requer Missão (vs. 28, 31)

a) Um Compromisso Coletivo e direcionado

COM (juntos) – PRO (em favor de…) MISSO (missão)

b) Um Compromisso de Construção (v. 28)

(1) Estamos construindo o nosso caráter cristão (2a Co. 5:17)

(2) Estamos construindo novos relacionamentos saudáveis (uns aos outros) c) Um Compromisso de Combate (v. 31)

(1) Estamos combatendo a nossa natureza pecaminosa (Gl. 5:17, Ef. 4:22-24) (2) Estamos combatendo o arsenal de nosso inimigo espiritual (Ef. 6:10-20) (Pr. José Carlos Carvalho – Um Eterno Aprendiz do Supremo Mestre)

1. O discípulo.

Discípulo – (Strong Português) תלמיד talmiyd – hebraico

1) estudante, discípulo

Discípulo – (Strong Português) למוד limmuwd ou למד limmud – hebraico 1) ensinado, instruído, discipulado

1a) ensinado

1b) acostumado a (alguma coisa)

Discípulo – (Strong Português) μαθητης mathetes – grego 1) aprendiz, pupilo, aluno, discípulo.

  • A palavra gr. mathetes empregada para discípulo é usada aproximadamente 270 vezes nos Evangelhos e no livro de Atos. Ela denota um pupilo que se submete aos processos de aprendizado sob a responsabilidade de um professor. Esta palavra grega entrou nas línguas inglesa e portuguesa como o termo matemática (em inglês mathematics), que significa literalmente, “disposto a aprender . Na prosa ática, notadamente em Platão, ela faz alusão ao estudante treinado por um filósofo ou orador retórico. O conceito já era prevalecente no AT e é exemplificado pelos “filhos dos profetas”, que foram os aprendizes que mais tarde substituíram Samuel, Elias e Eliseu. Algo semelhante ocorre mais tarde, no caso de Paulo, que foi “criado… aos pés de Gamaliel”. No NT, o termo é usado como uma alusão aos discípulos de João Batista (Mt 9.14), dos fariseus (Mc 2.18) e de Moisés, indicando os adeptos contemporâneos de seus ensinos (Jo 9.28).

Nas epistolas, o termo tnimetes, “seguidor”, “imitador”, ocorre em exortações para seguir o modelo de vida proposto por DEUS (Ef 5.1), descreve o escritor como um apóstolo (1 Co 4.16; 11.1; Fp 3.17; 2 Ts 3,7,9), e se refere ainda a outros crentes (Hb 6.12; 13.7). Veja Exemplo.

  • Em um sentido amplo, JESUS usou a palavra “discípulo” como descrição de todos os seus seguidores vindo sob a influência de seu ensino, esforçando-se para conformar- se aos seus princípios. Lucas refere-se a “toda a multidão dos discípulos” (19.37). Em Atos 6.2, ele declara que os Doze convocaram a multidão dos discípulos. JESUS disse: “Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente, sereis meus discípulos” (Jo 8.31). Os discípulos de JESUS naqueles dias, e sempre, são aqueles que respondem ao seu convite, “Aprendei de mim” (Mt 11.29).
  • Em um sentido restrito, discípulo (também apóstolo) aplica-se ao círculo interno dos Doze, chamados em meio a um grupo maior para que pudessem estar com CRISTO, ouvi-o expor os mistérios do reino que foram reservados para um grupo seleto, testemunhar e posteriormente operar sinais e maravilhas que serviriam como uma autenticação, e proclamar o Evangelho ao mundo.

Os doze eram os seguintes: Simão Pedro, André, Tiago de Zebedeu, João, Filipe, Natanael (também conhecido como Bartolomeu), Tomé, Mateus (chamado Levi), Tiago filho de Alfeu, Simão o zelote ou cananeu, Judas o irmão de Tiago e, às vezes, chamado Tadeu, e Judas Iscariotes.

Embora carecessem de uma educação mais elevada, como hebreus estes homens tinham uma base completa das doutrinas e da história de sua fé. Sua obtusidade tentou mas nunca exauriu a paciência de JESUS, que não é menos tolerante para com as nossas limitações em seu serviço. A lentidão da compreensão destes homens constitui uma apologia à validade histórica daquilo que os Evangelhos relatam a respeito de JESUS. O Dr. A B. Bruce disse: “Eles eram pessoas de mente lenta; muito honestos, mas muito inaptos para receber novas idéias… Sabemos que nada além dos fatos poderia fazer com que tais homens cressem naquilo que, atualmente, alguns lhes acusam de ter inventado”. (Dicionário Bíblico Wycliffe).

IV- CARACTERÍSTICAS DO DISCÍPULO DE CRISTO

De acordo com a Escritura, ser um discípulo cristão envolve um crescimento pessoal caracterizado pelo seguinte:

  1. O discípulo de Cristo precisa ser separado do mundo (Mc 8.34-38). Colocar Jesus em primeiro lugar em todas as coisas é uma característica do discípulo de Jesus. Nosso foco deve estar no nosso Senhor e agradá-Lo em todas as áreas da nossa vida.
  2. O discípulo de Cristo precisa seguir os ensinamentos de Jesus (Jo 8.31-32). Jesus é o exemplo perfeito da obediência, pois Ele viveu uma vida na Terra de completa obediência ao Pai até o ponto da morte (Fp 2.8). Jesus nos deu o exemplo: “ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado” (Mt 28.20 ver ainda Fp 2.6-8). O livro de Atos mostra os apóstolos no cumprimento dessa palavra (At 2.42; 4.1,2:5.21,28).
  3. O discípulo de Cristo precisa ter amor por outros discípulos (Jo 13.34-35). A Bíblia ensina que o amor por outros crentes é a prova de que somos membros da família de Deus (1Jo 3.10). O amor é definido (1Co 13.1-13). Somos instruídos a pensar mais nos outros do que em nós mesmos e a cuidar dos seus interesses (Fp 2.3-4).
  4. O discípulo de Cristo precisa fazer outros discípulos (Mt 28.19-20). A expressão: “Ide, portanto, fazei discípulo”. Em algumas traduções dizem: “ensinai todas as nações”. O fazer discípulos envolve, em primeiro lugar, a necessidade do evangelismo ou da pregação do evangelho; mas também subentende um exercício de treinamento e orientação: “Admoestando a todo homem e ensinando a todo homem em toda a sabedoria; para que apresentemos todo homem perfeito em Jesus Cristo” (Cl 1.28).

CONCLUSÃO:

O discípulo é o aprendiz, o aluno dedicado e atencioso, o imitador de CRISTO.

A Grande Comissão (Mt 28.18-20; Mc 16.15-20) é a ordem de JESUS para que se pregasse o evangelho e discipulasse os que se convertessem..

A educação cristã é o meio pelo qual o novo convertido vai chegara a estatura de varão perfeito. É a oportunidade de aprendizado da Bíblia..

Na igreja o novo convertidio deve encontrar um bom ensino da Palavra de DEUS, a comunhão com os irmãos e ser engajado na obra de evangelização, oração, louvor e adoração.

A comunhão na igreja de Jerusalém é enaltecida em Atos dos Apóstolos.

Todo crente deve ter um crescimento espiritual e a igreja como um todo deve estar sempre em crescimento espiritual. O crescimento numérico da igreja se dá com a oração e evangelização, sempre acompanhada pelos sinais, prodígios e maravilhas (Mc 16.20). O exemplo da igreja de Antioquia da Síria nos conduz a um excelente trabalho missionário sob a orientação do ESPÍRITO SANTO.

Discipulado é aprender e ensinar a seguir e obedecer Jesus. Todo crente é chamado para ser discípulo e fazer outros discípulos. O discipulado põe a fé em ação.

O discipulado é parte da missão da Igreja. Jesus formou discípulos e nos deu a todos a ordem de formar mais discípulos, pelo mundo todo (Mateus 28:19-20). Discipular é:

  • Levar para Jesus
  • Ensinar a obedecer aos mandamentos de Jesus.
  • Que Deus nos ajude a não apenas ganhar almas, mais também discipular, para que “o fruto permaneça”, como disse Jesus.

Comente a matéria

*Seu e-mail não será publicado.

*
*

Social media & sharing icons powered by UltimatelySocial
YouTube
YouTube
Instagram